Conheça a diferença entre curso técnico e curso tecnológico

Está pensando em começar uma formação em breve? Bem, antes de decidir qual curso você irá fazer, cale a pena conferir qual a modalidade de ensino que melhor se encaixa no seu perfil acadêmico. Por exemplo, você sabe qual a diferença entre o curso técnico e o curso tecnológico? Para entender mais sobre o assunto, confira o texto a seguir.

Curso Técnico

É normal confundir as duas modalidades de curso. Além da terminologia semelhante, ambos também tem pontos parecidos, porém, vale lembrar que são formações diferentes, os cursos técnicos por exemplo, tendem a ser mais baratos e oferecidos gratuitamente pelo PRONATEC. Para entender melhor, veja os tópicos abaixo:

Tipos de curso

A principal característica do curso técnico é a quantidade de categorias de ensino diferentes. Por exemplo, você pode realizar um curso técnico como qualificação profissional, que é voltada diretamente para os trabalhadores.

Também é possível realizar a formação inicial ou continuada, assim como a concomitante, que é voltada para quem já concluiu o primeiro ano do ensino médio ou o ensino integrado, que ocorre juntamente ao processo escolar em horários diferentes.

Nível

Vale lembrar também que devido às categorias que o curso técnico possui, ele dispõe de diversas opções de formação para vários níveis de ensino diferentes. Por exemplo, quem não concluiu o ensino médio ainda já pode começar seu curso em uma instituição adequada.

Instituições

Os cursos técnicos são responsabilidade das Escolas Técnicas disponíveis em cada região. As do Sistema S são as mais procuradas e podem até ofertar cursos gratuitos. É o caso do SENACque disponibiliza uma porcentagem de vagas para programas de incentivo ao estudo.

Curso Tecnológico

Sendo também um tipo de formação de curta duração e com boa empregabilidade no mercado, o curso tecnológico possui processos singulares que podem servir muito bem para algumas pessoas.

Trabalho de Conclusão

Enquanto a maioria dos cursos necessita de pontuação somente através de sistemas de provas, o curso tecnológico irá requirir um trabalho de conclusão de curso para a liberação do diploma.

Requisitos

Outro ponto forte que diferencia as duas modalidades de ensino são os requisitos de participação. Para cada tipo de ensino técnico, haverá um regulamento próprio. Enquanto isso, o tecnológico só pode se realizado por quem já concluiu o ensino médio, pois é considerado um curso superior.

Duração

Os cursos técnicos podem ser concluídos em alguns meses até cerca de 3 anos, dependendo de cada área de ensino. Mas, para a modalidade do tecnológico o tempo mínimo é de 2 anos, podendo ir até 3 anos.

Como Fazer o Curso de Técnico em Mecânica Gratuitamente no SENAI?

Muita gente não sabe, mas o SENAI oferece todos os anos centenas de bolsas de estudos tanto integrais como parciais. Para concorrer a uma delas é muito fácil, você só precisa atender os requisitos obrigatórios e preencher o cadastro de inscrição.

A procura pelos cursos técnicos profissionalizantes ainda é bem grande entre os jovens que querem se especializar para entrar no mercado de trabalho.

Mas, nem sempre é possível estudar no Brasil. As mensalidades infelizmente são altíssimas em algumas instituições e o jovem acaba ficando sem esperanças. É nessa hora que entra o SENAI, oferecendo bolsas de estudos para quem precisa.

O curso de Técnico em Mecânica é oferecido gratuitamente através do seu programa de bolsas. O aluno contemplado não paga absolutamente nada para estudar. Sua única preocupação será a de aprender as lições ensinadas.

Detalhes do curso de Técnico em Mecânica

O curso de Técnico em Mecânica é oferecido pelo SENAI e a procura por vagas é bem grande.

O principal objetivo desse curso é formar profissionais habilitados para atuarem na produção mecânica, em todos os seus processos, desde a elaboração, até o planejamento e a coordenação de todos eles.

Outras funções importantes que esse profissional será capaz de exercer depois de formado é a de coordenar equipes de trabalho.

Como o SENAI possui diversas unidades, poderá haver algumas diferenças entre elas, mas nada muito grande.

Confira algumas dessas informações:

  • Duração do curso: 1500 horas;
  • Matérias que você vai aprender: Noções de administração de manutenção, processos de fabricação mecânica, medidas e representação gráfica, comunicação oral e escrita, controle e planejamento de produção, fundamentos de mecânica, técnicas para manutenção, fundamentos de automação, processos programáveis de usinagem, desenvolvimento de projetos mecânicos e administração de manutenção.

Como ingressar pelo SISUTEC

O SENAI é uma das instituições de ensino parceira do MEC ou Ministério da Educação e por isso oferece centenas de vagas totalmente gratuitas para a população que não pode pagar para estudar.

Os alunos que já concluíram o Ensino Médio podem fazer um dos cursos gratuitos oferecidos por meio do Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico).

Para concorrer a essas vagas disponibilizadas gratuitamente, os alunos devem fazer o cadastro no Sisutec 2019 ou Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica.

Essas vagas serão ocupadas primeiramente pelos estudantes que tenham terminado o Ensino Médio em escola pública ou instituição privada, desde que na condição de bolsista integral.

O primeiro passo para fazer a inscrição no SISUTEC é fazer o ENEM, pois só é possível concorrer a uma bolsa integral nesse programa se você tiver feito essas provas.

Em seguida você deve visitar o site oficial do programa e preencher corretamente o número de inscrição e a senha do ENEM.

Quais são os requisitos para participar do programa?

  • Ter obtido nota mínima de 450 pontos;
  • Não ter zerado na redação.

Se você for um dos escolhidos, será necessário comparecer até a unidade de ensino com todos os seus documentos pessoais para fazer a matrícula. Boa Sorte!

5 erros mais comuns em redações

As redações são uma parte essencial de diversos exames e por isso quem for participar de alguma seleção deve estar preparado para elas. Seja para uma entrevista de emprego, concurso púbico ou exames que proporcionam certificação, o poder da argumentação e da escrita é essencial para qualquer candidato.

Todos os anos, são cometidos muitos erros em redações, por isso, você deve estar atento para não acabar cometendo um deles. Confira no texto a seguir 5 erros mais comuns em redações e saiba com driblá-los:

A redação está presente em exames como o ENEM e o Encceja. Você sabia que é possível conseguir certificação do ensino fundamental e médio através da prova fechada e da redação do ENCCEJA 2019? Não deixe de se inscrever e conferir o local de prova Encceja.

Falta de coesão

A falta de coesão de acordo com as normas linguísticas é muito comum. É preciso que dentro do texto as informações tenha concordância verbal, nominal, de gênero e de número. Por exemplo, na frase ” as meninos foi junto”, a concordância não existe.

O uso dos porquês

Nem todo mundo sabe diferenciar o uso dos porquê asem frase, por isso, este é um erro muito comum para quem realiza provas de redação. Vale lembrar que “Porque” é utilizado para respostas e justificativas, o”Por que” é para realizar perguntas, “Por quê” é para perguntas sem complemento, vindo antes do ponto de exclamação, e o “Porquê” é para justificar o motivo de algo, o porquê de algo.

Fuga da proposta

Toda redação recebe um tema e uma proposta para sua elaboração. Para quem não pratica a leitura e a escrita, fazer uma redação coerente, coesa e fazendo jus ao tema fica muito difícil. É importante manter seu foco no que é requerido na proposta e não fugir para outros temas que não tem a ver com o principal.

Desrespeito aos Direitos Humanos

É difícil elaborar um texto sem se colocar nele e sem dar a sua opinião. Este tipo de coisa pode fazer com que a sua nota caia, principalmente se a sua opinião infringir os Direitos Humanos. Você deve ser imparcial na sua redação e defender o seu argumento de forma factual e racional.

Uso de gírias

Com tantas formas de estar conectado e com a constante adaptação à tecnologia, dividiu-se o português em tradicional e o da internet. Mas você não deve abreviar ou escrever gírias em sua redação. Lembre-se de fazer jus à normal culta!

Como se Inscrever no PRAVALER?

Você já ouviu falar em crédito universitário? Muitas pessoas desejam ingressar no ensino superior e alcançar o tão sonhado diploma de graduação, mas não estão aptos a arcar com todo custo da universidade. Pensando nisso, foram criados alguns projetos visando dar suporte aos estudantes que precisam e assim, melhorar o cenário educacional brasileiro a longo prazo. É o caso do programa PRAVALER. Leia a seguir para saber como você pode se inscrever nele.

O Programa

O PRAVALER é um programa de iniciativa privada do país. O financiamento acontece através de parcerias com as instituições de ensino e está em vigor há mais de uma década. Os valores são compensatórios, e dependendo da faculdade você pode conseguir até juro zero em suas parcelas.

Com mais de 500 instituições parceiras, o projeto tem realizado o sonho do ensino superior para muitos estudantes. Através do site, você pode simular o seu crédito.

Como se inscrever

A contratação do programa é semestral. O que isso quer dizer? Cada semestre é pago em um ano, desta forma, se financiar 4 anos, poderá quitar em 8 anos. Toda contratação é feita online para facilitar ainda mais a sua vida. Basta acessar os canais oficias do PRAVALER, simular o financiamento e se cadastrar.

Depois você fica aguardando a aprovação do seu crédito, que será analisado pelos responsáveis do projeto.  Se o seu requerimento for aprovado, você envia os documentos necessários online e pronto, já pode começar a estudar na faculdade dos seus sonhos por um custo reduzido e sem se preocupar!

Outras oportunidades

Existem algumas possibilidades que podem levar você a conquista do seu diploma. Além do PRAVALER, os estudantes também podem se beneficiar do FIES. Sendo um programa de incentivo do Governo Federal, o Fundo de Financiamento Estudantil diminui as parcelas pagas mensalmente e prolonga o prazo de pagamento de seu curso.

O programa é conhecido por ter os menores juros do mercado e você pode conseguir um financiamento de 50% ou até 100%. Para conseguir os financiamentos, é preciso preencher alguns requisitos socioeconômicos e também ter realizado a prova do ENEM. Confira no site! Realize a sua inscrição FIES o mais breve possível e garanta seu sucesso profissional de forma facilitada!

Com as oportunidades de crédito universitário citados, você pode assegurar o seu ingresso em instituições privadas de qualidade. Verifique se seu crédito será aprovado pelos programas a fim de começar a sua graduação o mais rápido possível. Planeje seu futuro ainda hoje!

10 Dicas para se prepara para a prova do ENCCEJA

O Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) é uma prova que avalia a educação básica brasileira e viabiliza meios para certificar os conteúdos adquiridos nas escolas e nos ambientes extraescolares.

O Encceja, realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), não é obrigatório, isto é, a participação é voluntária e gratuita. Esse Exame é proposto aos jovens e adultos que moram no Brasil e no exterior.

As pessoas privadas de liberdade (presos), que não tiveram oportunidade de concluir os estudos na idade apropriada, também podem fazer a prova. Se você está pensando em fazer o Encceja 2018, que acontecerá em novembro, é bom ficar ligado nas 10 dicas que separamos para se preparar para a prova. Confira:

Foque nos estudos

A prova do Encceja não é tão fácil assim, por isso, é preciso que você se dedique aos conteúdos que caem no Exame para garantir um bom desempenho. Estude em um lugar confortável, silencioso e bem iluminado para garantir concentração no conteúdo.

Leia suas anotações

Fazer anotações com os conteúdos que cairão na prova é uma ótima dica para fixar os conteúdos. Depois de ler essas anotações você terá uma noção melhor de todas as informações que selecionou. Mas nem sempre somente as anotações são suficientes para o estudo. É importante ler tudo e revisar com as anotações.

Confira provas anteriores

É importante conhecer o estilo da prova antes de fazê-la. Você pode estudar as provas do Encceja dos anos anteriores, resolver as suas questões e depois revisa-las. Dessa forma além de estudar os conteúdos, você também já se prepara ao estilo do Exame.

Estude em grupo

Essa é uma maneira de variar a maneira de estudar e sair um pouco da sua rotina. Você pode estudar com seus amigos e sugerir que cada um leve um resumo dos conteúdos.

Respeite seus limites

Estudar muito não é sinônimo de virar a madrugada se dedicando aos conteúdos que vão cair na prova. Mais importante do que estudar é preservar sua saúde e respeitar os limites do seu corpo. Durma bem, beba bastante água e se alimente de forma saudável para garantir um melhor desempenho no dia do Exame.

Assista videoaulas

Muitas vezes você já está saturado de sentar na frente dos livros, ler e escrever. Existem outros meios de estudar, como assistir a videoaulas. Elas são ótimas opções para você variar as formas de estudo.

Intercale os assuntos

Estudar por muito tempo o mesmo assunto pode gerar dificuldades no aprendizado. Por isso é importante que você intercale as disciplinas e as formas de estudar.

Estude com antecedência

É preciso de tempo suficiente para estudar e revisar todos os conteúdos que irão cair na prova. Alguns conseguem estudar apenas meses antes do dia do Exame, outros precisam de mais tempo. Se você fará o Encceja 2019, é legal começar a ler os conteúdos de agora, sem pressa. Isso te ajuda a aprender o assunto, e não apenas decorar.

Revise o conteúdo

Alguns dias antes do Exame, é importante revisar os conteúdos programáticos. Vale ler as anotações que você fez durante os estudos.

Mantenha a calma

O dia da prova chegou e se você estudou, irá se sair bem, afinal, a prova nada mais é do que um exame para conferir se você realmente estudou. Por isso mantenha a calma, respire fundo e mostre que você se preparou para o Encceja.

Pedestres também tem direito ao DPVAT?

Além do seguro de particulares que todo dono de veículo pode fazer, todos os envolvidos em acidente de trânsito podem acionar o DPVAT. O processo é simples e ele cobre tanto quem está no carro e fora dele. Saiba mais a seguir. 

O que seria o DPVAT?

Das taxas pagas anualmente por proprietário de veículos no Brasil há o DPVAT. O Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT) indeniza todas as vítimas envolvidas em um acidente de trânsito. 

É um seguro contra acidente diferente de um seguro de vida ou seguro de carro. Um seguro de vida (feito por qualquer pessoa pagando um determinado valor) cobre danos permanentes de saúde e morte deixando o valor para os entes queridos. Mas cobre apenas da pessoa a qual contratou e não de terceiros. 

Já o seguro de veículo cobre danos materiais do asseguro principal, de terceiros e para as vítimas do acidente caso ele tenha culpa. Se ele não tiver causado danos a ninguém recebe nenhum valor por isso. Apenas recebe o reparo do pago pagando o valor da franquia.

Com o seguro DPVAT é bem diferente. Não é preciso ter veículo para ter direito. Ele cobre vítimas de acidente de trânsito, sendo ele o causador do sinistro ou não. O próprio motorista que bateu o carro em alguém pode acionar, assim como sua vítima. 

Quem está coberto pelo DPVAT?

Todos os envolvidos em um acidente de trânsito em região urbana ou não podem acionar o DPVAT. Mas como pré requisito a pessoa precisa ter sofrido algum dano à sua saúde causado por um veículo automotor. 

São cobertos pelo seguro DPVAT:

  • Motorista;
  • Passageiros do carro;
  • Pedestres.

Se o pedestre está envolvido em um acidente de carro, sendo culpa dele ou não, ele terá direito ao seguro. Contudo, ele precisa ter sofrido algum dano e comprovar a sua participação no acidente. 

A comprovação é por meio de laudo médico emitido no atendimento após o acidente. O documento do órgão de trânsito informando a colisão também serve de prova. Posteriormente mais provas devem ser unidas de laudos médicos de lesões permanentes ou que necessitem de tratamento de médio a longo prazo para servirem como provas e assim o seguro ser liberado.

O que é coberto pelo DPVAT?

Todos os danos relacionados com saúde são cobertos mas com valor máximo estipulado. Tratamentos como fisioterapia e exames para quem ganhou apenas machucados e lesões temporárias podem ser cobertos. 

Os valores do Seguro DPVAT 2018 vão de R$ 1.250 a R$ 13.500. Podem ser modificados de acordo com a necessidade e atualização da inflação. Como é a Seguradora Líder a responsável, ela quem estipula os valores a serem recebidos e quem possui direito a qual indenização.

Os pagamentos mais altos são referentes à incapacidade motora(perder movimentos de membros ou coluna), amputação parcial ou total de um membro ou morte. No caso de morte serão os herdeiros a receber o pagamento, podendo ser pago para esposa e filhos ou dividido entre eles. 

FONTE

 

IPVA pago a mais: O que fazer?

Pagamento do IPVA apenas via boleto bancário. Em alguns estados o documento para pagamento é enviado para as residências, enquanto em outros apenas retirando online. O fato é que ele deve ser pago na íntegra ou a pendência não sai do sistema. Pagando a mais há como solucionar o problema. Saiba mais a seguir. 

Como pagar o IPVA

O Imposto Sobre Propriedade Veicular (IPVA) é um compromisso anual entre proprietários de carros, motos e demais veículos motorizados e o Departamento de Trânsito (Detran). O primeiro trimestre do ano é quando ele começa a ser liberado para pagamento. 

Apesar de cada estado possuir um método próprio do boleto chegar nas mãos do contribuinte ele é enviado sempre no primeiro trimestre por ano. Em algumas cidades já em janeiro começa a emissão. Mas em todas as localidades é só entrar no site do Detran ou se dirigir até uma sede da Secretaria da Fazenda (Sefaz) e solicitar uma segunda via.

As opções de pagamento são parcela única (à vista com Desconto IPVA 2018 de 10%) e à prazo. O pagamento em parcelas não exige diferenciais além do valor final e a quitação constará no sistema desde a primeira parcela. Mas se as demais não forem pagas continua o débito e pode haver multa e apreensão. 

Paguei o IPVA a mais: e agora?

O pagamento do IPVA pode ser realizado em lotéricas ou caixas de banco. Online através do auto atendimento também é possível para quem é correntista de um banco. Não existe como pagar em dinheiro diretamente ao Detran. 

A opção de pagar IPVA online exige digitar o código de barras e com isso o valor pode ser preenchido errado. Os quatro últimos dígitos do boleto correspondem a seu valor e se vierem em branco o cliente digita manualmente. Neste opção pode ser pago IPVA a mais. O boleto danificado também não permite a leitura nos caixas e a digitação manual do operador pode ser necessária, gerando mais um erro. 

Um valor a menos deixa o imposto em aberto. Valor a mais pode ser recuperado diretamente no Detran. Para isso o processo é simples:

  • Dirija-se até uma unidade do Detran com o comprovante de pagamento do IPVA e o boleto;
  • Preencha o formulário referente a estorno de transação financeira;
  • Apresente os documentos e informe no formulário sua conta bancária;
  • O valor pago a mais deve ser estornado em até 90 dia.

Dica: tire xerox do documento porque alguns papéis acabam apagando.

O que acontece com quem não paga o IPVA?

Veículo circulando sem IPVA pago nas ruas é considerado ilegal. Não importa se foi comprado no Brasil ou em outro país e trazido para as terras nacionais. Ele deve ter seus impostos anuais pagos. 

Uma fiscalização de rotina pode apreender se não houver a quitação seja carro, moto, caminhão ou outro meio de transporte de passageiros (com remuneração ou não). Também deve-se pagar o débito ou não se pode circular e ainda há a multa. 

Quanto mais tempo sem pagar mais caros são os juros (diários). Ainda há a multa por atraso a somar no valor. 

FONTE

Por que é importante estar com o licenciamento em dia?

A importância do IPVA e DPVAT são inegáveis para os proprietários de veículos no Brasil. Mas há uma terceira taxa a ser paga tão importante quanto: o Licenciamento. Igualmente anual como as citadas acima, é de suma importância para manter o carro, moto ou semelhante atualizado. Saiba como funciona a seguir. 

O que é um licenciamento de veículo?

Licenciamento é um procedimento de checagem para autorizar um veículo a andar nas ruas. Sem a devida autorização ele é considerado ilegal e não pode sair da garagem. 

Licenciar um veículo significa que ele está devidamente autorizado com as normas de segurança técnica para circular na rua. O procedimento para essa autorização ser dada acontece por meio de uma vistoria, conduzindo o carro, moto ou outro tipo de veículo até um dos locais autorizados pelo Detran. 

O Detran atrela três procedimentos em conjunto: licenciamento, vistoria e emissão do Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV). A vistoria verifica se o licenciamento é permitido e só então pode-se emitir o CRLV, de validade anual.

Mas a ordem começa um pouco antes. Deve-se pagar o IPVA, marcar a vistoria e depois ter a emissão da Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV) autorizada. Na troca de posse de um veículo é preciso fazer a vistoria apenas se ela estiver em atraso.

Por que o licenciamento é importante?

Antes de pensar no procedimento em mais uma taxa a ser paga é preciso compreender um pouco mais sobre a sua importância. Há milhares de veículos nas ruas e cada dono possui a sua própria linha de pensamento sobre conservação de um veículo, seu bom estado e segurança. Nem todos seguem as normas e dirigem ou pilotam do mesmo jeito. 

O procedimento do licenciamento exige uma fiscalização por mecânicos devidamente certificados do Detran. Neste ponto eles verificam as boas condições do veículo de andar nas ruas com oferta de segurança para o condutor, seus passageiros e também os pedestres.

As normas técnicas verificadas na vistoria vão desde o bom estado o motor até a segurança padrão. Um carro sem cinto de segurança, por exemplo, não é considerado seguro e não pode circular nas ruas. A ideia é garantir que todos os envolvidos em um trânsito esteja dentro das normas e diminuir as chances de acidentes.

Como obter o licenciamento?

Para obter o licenciamento o primeiro passo é pagar a taxa do procedimento que vai de R$ 50 a R$ 100. Varia de estado para estado. 

Depois é necessário agendar a vistoria. No geral é cumprido o prazo de dia e hora marcado. O agendamento pode ser feito no site do Detran de sua cidade ou pessoalmente em um dos pontos de atendimento. 

Se na vistoria estiver tudo certo com o veículo será informado no sistema do Detran e o Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo pode ser emitido.

Todos os anos esse mesmo passo a passo deve ser repetido. Infelizmente nem todos os proprietários fazem e por isso sempre há um aumento do número de acidentes.

Comprar moto com IPVA atrasado vale a pena?

Moto é um veículo de fácil condução nos grandes centros urbanos. Vem ganhando preferência nacional pelo baixo valor do combustível e facilidade de estacionamento, em especial nas capitais. Mas na compra de um modelo usado é preciso ter atenção especial ao IPVA. Pode valer a pena comprar o modelo com débitos, mas nem sempre é interessante. Saiba mais a seguir. 

Consequências do IPVA de moto atrasado

O Imposto Sobre Propriedade Veicular (IPVA) é de pagamento anual cobrado pelo Departamento de Trânsito (Detran). Deve ser pago por donos de carros, motos, caminhões, vans e todos os tipos de transporte terrestres se não possuírem isenção por lei em casos especiais. 

A cobrança do imposto é realizada sempre no primeiro trimestre de cada ano. O boleto é enviado para a residência do contribuinte ou ele pode obter online através do site do Detran. Se não pago gera algumas consequências. 

Sem o IPVA o veículo não consegue os documentos novos de sua possa e autorização para dirigir. Pode ser apreendido e não consegue nem ao menos circular na rua, pois está em situação ilegal. Com este imposto não pago não há negociação: o bem móvel será apreendido e não importa se um dia ou meses de atrasos. 

Comprar moto com IPVA atrasado: o que acontece?

No início de cada ano é muito comum muitos donos de moto devendo o IPVA RJ ou de outros Estados venderem por não conseguirem arcar com os débitos. Para o comprador parece ser uma boa barganha obter um desconto mas nem sempre é. Faz-se necessário entender o que o atraso no IPVA de uma moto pode gerar. 

Sem o IPVA pago não é possível agendar o licenciamento. Se você comprou mas precisa mudar o emplacamento porque mora em outra cidade não consegue fazer este pequeno trâmite porque a pendência não permite o agendamento.

O novo documento do veículo também não é emitido. Para mudar o dono da moto no cadastro do Detran é preciso estar com todos os débitos em dia, isso vale para multas e IPVA. Mesmo que você pague ao antigo dono ficará ainda no nome dele. Logo, em caso de algum problema com o Detran terá que procurar por ele sempre. 

O maior risco de atraso do IPVA de moto ainda é apreensão. Passada a data de validade e o documento da moto não atualizado, em uma blitz o agente pode apreender e multar. Neste momento a dívida fica ainda maior porque há o reboque e apreensão para serem pagos também para liberar a moto.

Vale a pena comprar moto com IPVA atrasado?

Cada caso é especial e depende um pouco do dono antigo. Se ele aceitar quitar os débitos antes de repassar evita menos problemas de circulação nas ruas. Vale a pena negociar aguardar um período até o novo documento com o nome do dono atual ser liberado. 

O IPVA pode entrar na negociação mas desde que se abata os juros. Isso pode abaixar sensivelmente o valor da moto e de fato valer a pena para o comprador.